O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2017 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts

16 agosto 2017

Fontes da história bula-bula [2]

Número inaugural aqui. Escrevi nesse número que são muitas e variadas as fontes da história bula-bula, daquela história comezinha que é feita e contada em grupo, imediatamente, sem viseiras nem cadeados censórios.
Os cabeleireiros são uma dessas fontes. Recebem dos clientes uma multidão de informações que, depois, intercalam nas deixas deles entre duas tesouradas. 

Uma página de ironia

Existe no Faísca [jornal editado em Lichinga, capital provincial do Niassa] uma página de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "Kucela" [em Yaawokucela significa amanhecer]. Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. [amplie a imagem abaixo clicando sobre ela com o lado esquerdo do rato].

15 agosto 2017

Ensino: qualidade e assiduidade [26]

-"[...] a falta de aplicação das medidas correctivas aos professores faltosos, nos distritos, e a falta de controlo da assiduidade estão entre os factores que ditam o fraco aproveitamento escolar. [...] Quando ao absentismo dos alunos nas escolas, a fonte atribui a culpa aos pais e encarregados de educação que não olham à escola como uma prioridade para os seus educandos." Aqui.
-"[...] o absentismo dos alunos, nas zonas rurais, está ligado a aspectos culturais, como é o caso dos ritos de iniciação, onde as crianças são obrigadas a interromper as aulas para atender as obrigações." Aqui.
Número anterior aqui, número inaugural aqui. A actividade lúdica deve ser tida em conta na educação familiar e nas escolas. Pais e professores devem ser capazes de ir bem para além da transformação da brincadeira num mero artifício didáctico. A ludicidade deve especialmente ser uma forma de aprender a transformar o mundo brincando, descobrindo, fazendo, refazendo e transformando. Especialmente transformando. [foto reproduzida com a devida vénia daqui]

14 agosto 2017

Profissionalismo, delicadeza e humanismo

Como muitos outros, manhã cedo, estive hoje na Direcção Nacional de Contabilidade Pública do Ministério das Finanças, na cidade de Maputo, para actualizar os meus dados no cadastro dos pensionistas do Estado. O que vi e senti será motivo do fungamaso 541 a publicar esta semana no semanário "Savana".

Uma crónica semanal

Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato. Nota: "Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre com 148 palavras na página 19. Confira na edição 1231 de 11/08/2017, aqui.

O fio de Ariadne [1]

Lábios, pés, mãos, etc., são unicamente pré-condições do social. As mulheres, por exemplo, não existem enquanto tais, apenas existem enquanto construções sociais. Pela moda em geral, pela feminilidade. Por regra as mulheres são regidas pelas gramáticas masculinas, pelos prontuários androcêntricos.

13 agosto 2017

Fontes da história bula-bula [1]

São muitas e variadas as fontes da história bula-bula, daquela história comezinha que é feita e contada em grupo, imediatamente, sem viseiras nem cadeados censórios.

12 agosto 2017

O fio de Ariadne

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1231, de 11/08/2017, disponível na íntegra aqui.

11 agosto 2017

Talvez não esteja longe

Talvez não esteja longe a possibilidade de uma terceira guerra mundial e dos seus efeitos em todos os países. Se ela acontecer, a pós-guerra será acompanhada do surgimento de uma nova potência hegemónica.

Fontes da história bula-bula

10 agosto 2017

Ensino: qualidade e assiduidade [25]

-"[...] a falta de aplicação das medidas correctivas aos professores faltosos, nos distritos, e a falta de controlo da assiduidade estão entre os factores que ditam o fraco aproveitamento escolar. [...] Quando ao absentismo dos alunos nas escolas, a fonte atribui a culpa aos pais e encarregados de educação que não olham à escola como uma prioridade para os seus educandos." Aqui.
-"[...] o absentismo dos alunos, nas zonas rurais, está ligado a aspectos culturais, como é o caso dos ritos de iniciação, onde as crianças são obrigadas a interromper as aulas para atender as obrigações." Aqui.
Número anterior aqui, número inaugural aqui. Por outro lado, quanto mais rica e diversificada for a actividade lúdica maior poderá ser o rendimento escolar, com a potenciação permanente dos aspectos cognitivo, sensório-motriz, emocional e afectivo.  [foto reproduzida com a devida vénia daqui]

Acontece

Em Matutuíne, província de Maputo, uma maternidade e uma escola poderão fechar por falta de utentes. Saiba por quê aqui.

09 agosto 2017

Pode concorrer até 01 de Novembro

No portal da Escolar Editora aqui. Clique na imagem com o lado esquerdo do rato para a ampliar.

Quando o anormal se torna normal

Segundo a Agência de Informação de Moçambique: "Pelo menos 140 mil beneficiários receberam indevidamente pensões em Moçambique do Instituto Nacional de Segurança Social entre 2015 e 2016." Aqui. Segundo a Televisão de Moçambique: "Detectados mais de mil e duzentos funcionários e agentes de estado “fantasmas” no primeiro semestre deste ano na Província de Inhambane." Aqui.

08 agosto 2017

Ensino: qualidade e assiduidade [24]

-"[...] a falta de aplicação das medidas correctivas aos professores faltosos, nos distritos, e a falta de controlo da assiduidade estão entre os factores que ditam o fraco aproveitamento escolar. [...] Quando ao absentismo dos alunos nas escolas, a fonte atribui a culpa aos pais e encarregados de educação que não olham à escola como uma prioridade para os seus educandos." Aqui.
-"[...] o absentismo dos alunos, nas zonas rurais, está ligado a aspectos culturais, como é o caso dos ritos de iniciação, onde as crianças são obrigadas a interromper as aulas para atender as obrigações." Aqui.
Número anterior aqui, número inaugural aqui. Como hipótese, pode-se sustentar que quanto mais precárias forem as condições de habitabilidade e de repouso dos alunos, piores serão os resultados escolares.  [foto reproduzida com a devida vénia daqui]

07 agosto 2017

Uma crónica semanal

Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato. Nota: "Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre com 148 palavras na página 19. Confira na edição 1230 de 04/08/2017, aqui.

06 agosto 2017

O anormal normalizado

Segundo o "Notícias": "Parte significativa do equipamento adquirido pelo Governo do distrito de Macomia, em Cabo Delgado, para obras de construção e manutenção das estradas terciárias, encontra-se abandonado ao relento e em progressivo estado de danificação, devido a uma alegada falta de pessoal técnico para operá-lo." Aqui.

Ensino: qualidade e assiduidade [23]

-"[...] a falta de aplicação das medidas correctivas aos professores faltosos, nos distritos, e a falta de controlo da assiduidade estão entre os factores que ditam o fraco aproveitamento escolar. [...] Quando ao absentismo dos alunos nas escolas, a fonte atribui a culpa aos pais e encarregados de educação que não olham à escola como uma prioridade para os seus educandos." Aqui.
-"[...] o absentismo dos alunos, nas zonas rurais, está ligado a aspectos culturais, como é o caso dos ritos de iniciação, onde as crianças são obrigadas a interromper as aulas para atender as obrigações." Aqui.
Número anterior aqui, número inaugural aqui. As condições de alojamento e repouso variam (permitam-me a redundância que se segue) consoante estamos perante crianças urbanas e crianças rurais, perante crianças das classes altas e crianças das classes baixas. Condições de ventilação, iluminação, tipo de mobiliário, tipo de cama, espaço para privacidade, armazenamento dos materiais escolares, guarda-roupa, por exemplo, são alguns dos factores a ter em conta na multifactorialidade do rendimento escolar. [foto reproduzida com a devida vénia daqui]

05 agosto 2017

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1230, de 04/08/2017, disponível na íntegra aqui.

04 agosto 2017

A casca de luxo

Av.ª Mao Tse Tung, cidade de Maputo: em sua viatura de luxo a senhora de luxo acaba de comer a banana de luxo, após o que abre o vidro de luxo e deita a casca de luxo para o passeio do povo.

03 agosto 2017

Ensino: qualidade e assiduidade [22]

-"[...] a falta de aplicação das medidas correctivas aos professores faltosos, nos distritos, e a falta de controlo da assiduidade estão entre os factores que ditam o fraco aproveitamento escolar. [...] Quando ao absentismo dos alunos nas escolas, a fonte atribui a culpa aos pais e encarregados de educação que não olham à escola como uma prioridade para os seus educandos." Aqui.
-"[...] o absentismo dos alunos, nas zonas rurais, está ligado a aspectos culturais, como é o caso dos ritos de iniciação, onde as crianças são obrigadas a interromper as aulas para atender as obrigações." Aqui.
Número anterior aqui, número inaugural aqui. Creio que valeria a pena fazer uma pesquisa em profundidade no país, avaliando o impacto das deficiências nutricionais sobre o rendimento escolar.
Prossigo. Regra geral, falamos dos alunos como se fossem independentes de situações e de relações sociais concretas. Ora, entre os factores marginalizados na aferição da qualidade do ensino (tenho em conta o ensino primário e secundário) estão as condições de alojamento e repouso.  [foto reproduzida com a devida vénia daqui]

02 agosto 2017

A síndrome do mylove [13]

Entre escárnio e resignação, passantes largam frases compensatórias: "Ali vão os bois! (em Xangaan: A ti homo!)". Há quem acrescente: "Para o matadouro! (A thomo tiya kudlayiwene)"
Número anterior aqui, número inaugural aqui. No número anterior dei-vos conta da seguinte hipótese: submetida (o) a um uso prolongado do mylove - mera carrinha de caixa aberta -, a utilizadora ou o utilizador acaba por o ter como útil e, até, pode suceder, como amigo. Transporte pobre, malandro, ofensivo, negador da condição humana, mas amigo. Sem ele não chegaria ao serviço, sem ele não iria à escola. Assim se pode criar uma atracção secreta, irremediável e perversa, uma amnésia de sobrevivência, espécie de servidão voluntária à La Boétie. A citada atracção secreta é - permitam-me a comparação - como se fosse uma versão benigna - não extrema, não letal - da síndrome de Estocolmo. [foto reproduzida daqui].

01 agosto 2017

Ensino: qualidade e assiduidade [21]

-"[...] a falta de aplicação das medidas correctivas aos professores faltosos, nos distritos, e a falta de controlo da assiduidade estão entre os factores que ditam o fraco aproveitamento escolar. [...] Quando ao absentismo dos alunos nas escolas, a fonte atribui a culpa aos pais e encarregados de educação que não olham à escola como uma prioridade para os seus educandos." Aqui.
-"[...] o absentismo dos alunos, nas zonas rurais, está ligado a aspectos culturais, como é o caso dos ritos de iniciação, onde as crianças são obrigadas a interromper as aulas para atender as obrigações." Aqui.
Número anterior aqui, número inaugural aqui. Propus no número anterior seis factores que são regra geral marginalizados ou esquecidos nas análises que fazemos sobre a qualidade do ensino no nosso país, a saber: nutrição, condições de habitação/repouso, ludicidade, perfil nosológico, distância casa/escola, mnemónica e alunos mata-borrão, turmas superlotadas e escassez de recursos didáctico-pedagógicos.
A nutrição raramente aparece integrada nos factores que contribuem para um mau aproveitamento escolar. Uma baixa quantidade de nutrientes atrasa ou impede o rendimento escolar. Crianças com dificuldade de concentração ou de coordenação motora são regra geral aquelas que possuem alimentação insuficiente e/ou inadequada. Segundo a UNICEF, "mais de duas de entre cinco crianças menores de cinco anos que vivem em Moçambique sofrem de desnutrição crónica, que é o estado de nutrição inadequada", leia aqui. Confira também aqui. [foto reproduzida com a devida vénia daqui]