O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2016 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts
<div style="background-color: none transparent;"><a href="http://www.rsspump.com/?web_widget/rss_ticker/news_widget" title="News Widget">News Widget</a></div>

30 maio 2016

Nkomo, dívida e VTB

Segundo a Bloomberg, Rogério Nkomo, porta-voz do Ministério das Finanças, afirmou que Moçambique poderá pagar dentro de dias ao banco russo VTB a primeira tranche da dívida. Aqui.

Causas socialmente úteis [2]

Número inaugural aqui. Recordo a posição que deu origem a esta série: "Os funcionários são mal-educados porque a sua formação escolar é baixa" - uma frase pronunciada há muitos anos, em 1995, quando da Reunião da Inspecção do Estado [“Notícias” de 31 de Julho de 1995, p.7].
Para que se possa estabelecer uma relação condicional do tipo: se A, logo B, é indispensável que essa relação tenha sido sistematicamente verificada.
Assim, por exemplo, se de cada vez que fricciono um palito provido de uma substância inflamável numa superfície contendo fósforo (A) surge uma chama (B) (excluindo aqui os acidentes), é lícito concluir A > B.

No "Savana" 1168 de 27/05/2016, p.19


Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do ratoNota: "Fungulamaso" (abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre com 148 palavras na página 19. A Cris, colega linguista, disse-me que se deve escrever Cinyungwe. Tem razão face ao consenso obtido nas consoantes do tipo "y" ou "w". Porém, o aportuguesamento pode ser obtido tal como grafei.

29 maio 2016

As reduções de Amélia Nakhare

Segundo o "O País" digital: "A Presidente da Autoridade Tributária reduziu para metade o número de directores gerais e adjuntos da instituição para aliviar as contas do Estado." Aqui.

Uma coleção e um prémio


Por ocasião da entrega em Março à Escolar Editora do 20.º número da coleção Cadernos de Ciências Sociais [Como se produz a cultura do medo?], uma posição do Ministro Jorge Ferrão, membro do fórum autoral:

Decorrente da coleção, nasceu o Prémio Escolar Editora de Ciências Sociais, cujas inscrições começam na próxima quarta-feira, dia 01 de Junho, confira o regulamento aqui.
Amplie as imagens clicando sobre elas com o lado esquerdo do rato.

Causas socialmente úteis [1]

"Os funcionários são mal-educados porque a sua formação escolar é baixa" - uma frase pronunciada há muitos anos, em 1995, quando da Reunião da Inspecção do Estado [“Notícias” de 31 de Julho de 1995, p.7].
Permitam-me, nesta série, algumas considerações a propósito da causalidade estabelecida na frase citada.

28 maio 2016

Não desligue a dúvida metódica

Vivemos uma situação difícil no país e estamos, por isso, emocionalmente enfraquecidos, muito porosos ao diz-que-diz ad populum, às verdades de oitiva, às petições de princípio, ao non sequitur, às falácias com argumentos capciosos, ao estabelecimento de imputações, de associações e de generalizações erradas. É neste contexto que surgem notícias tendenciosas, prismas distorcidos, fotos falsas e boatos de todos os tipos através de páginas de redes sociais, blogues do copia/cola/mexerica e certos jornais digitais. Fungulamaso [=abra o olho, fique atento], não desligue a dúvida metódica. Fungulamaso especialmente perante os guerrilheiros cibernéticos disfarçados de apóstolos da verdade.

"À hora do fecho" no "Savana"


Na última página do semanário "Savana" existe sempre uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1168, de 27/05/2016, disponível na íntegra aqui:
Nota: de vez em quando perguntam-me por que razão o ficheiro está protegido com senha e marca de água. Resposta: para evitar que os ávidos parasitas do copy/paste/mexerica o copiem, colocando-o depois no seu blogue ou na sua página de rede social digital com uma indicação malandra do género "Fonte: Savana". Mas, claro, um ou outro é persistente e consegue transcrever para o word certos textos, colocando-os depois no blogue ou na rede social, mas sem mostrar o verdadeiro elo. Mediocridade, artimanha e alma de plagiador são infinitas.

27 maio 2016

Dívida: VTB, MAM e Estado

Um despacho de hoje da "Reuters" a propósito da primeira prestação no valor de 178 milhões de dólares que a MAM deverá pagar ao banco russo VTB, aqui.

E lá se foi a vala comum com 120 corpos da "Lusa"

Segundo a "Rádio Moçambique", o delegado da "Lusa" admitiu hoje terem sido cometidos erros no tratamento da informação da agência relativa à existência de uma vala comum com 120 corpos em Canda, distrito da Gorongosa, província de Sofala. Segundo ele, o repórter da agência cometeu na verdade erros, pois nenhuma vala foi encontrada com 120 corpos. A fotografia que acompanhou o trabalho da "Lusa", espalhada pelo mundo, era falsa. O delegado da "Lusa" foi hoje escutado pela Comissão Parlamentar para Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e Legalidade da Assembleia da República. De acordo com o presidente da Comissão, Edson Macuácua, os problemas decorrentes dos danos causados pela falsa notícia serão analisados posteriormente.- jornal da noite das 19:30. Recorde neste diário aqui.
Adenda: some assim o maná que fazia, quase diariamente, as delícias estrídulas e acríticas de vários quadrantes nacionais e estrangeiros, de jornais a páginas das redes sociais digitais passando pelos blogues do copia/cola/mexerica.
Adenda 2 às 20:07: o portal da "Rádio Moçambique" já exibe a notícia, aqui.
Adenda 3 às 21:52: confira a notícia elaborada pela "Voz da América" sobre o que disse Henrique Botequilha, delegado da "Lusa", aqui.
Adenda 4 às 02:16 de 28/05/2016: leia também aqui.
Adenda 5 às 06:32 de 28/05/2016: certamente será necessário investigar como e por que se produzem - permitam a expressão - as covas comuns de oitiva.
Adenda 6 às 19:31 de 28/05/2016: um despacho da "Agência de Informação de Moçambique", aqui.
Adenda 7 às 05:55 de 29/05/2016: confira igualmente aqui e aqui.
Adenda 8 às 06:20 de 28/05/2016: recorde o alarmismo criado nesta notícia dada pela "RTP" [preste atenção ao vídeo], aqui.
Adenda 9 às 19:30 de 29/05/2016: confira aqui.

Renamo: 18 ataques, sete mortos e 30 feridos em 15 dias

Segundo o porta-voz da polícia, Inácio Dina, citado pela "Folha de Maputo": "Só nos últimos 15 dias, isto de 11 a 26 de Maio corrente, de acordo com Dina foram registados 18 ataques nas províncias de Sofala, Tete, Manica e Zambézia.[Os mesmos saldaram-se em sete mortos, contando-se cinco moçambicanos, uma filipina e um chinês, trinta feridos dos quais 17 em estado grave e avultados danos materiais." Aqui.
Adenda às 18:06: notícia confirmada pela "Rádio Moçambique" através do noticiário das 18 horas.
Adenda 2 às 18:16: 41 escolas encerradas na província de Manica devido aos ataques da Renamo, segundo a "Agência de Informação de Moçambique", aqui.
Adenda 3 às 18:21: de acordo com o governo provincial, citado pelo "O País", a situação política na província de Tete tende a normalizar-se. Aqui.

Amanhã neste diário

"Como se produz a cultura do medo?" [NO PRELO]

Está no prelo o 20.º número da coleção "Cadernos de Ciências Sociais" da "Escolar Editora", intitulado "Como se produz a cultura do medo?", com autoria de Bóia Júnior [professor universitário, psicólogo e psicanalista] de Moçambique e, do Brasil, Sergio F. C. Graziano Sobrinho [professor universitário e advogado] e Ricardo Arruda [professor universitário e sociólogo].

26 maio 2016

João Uthui sobre FMI e BM

Conselheiro do Grupo Moçambicano da Dívida, João José Uthui opinou em entrevista sobre o que ganham o FMI e o BM ao emprestarem dinheiro a Moçambique, aqui.

Piorou situação económica das empresas

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, a situação económica das empresas agravou-se no primeiro trimestre deste ano. Confira aqui.
Adenda às 01:03 de 27/05/2016: posição do Primeiro-Ministro aqui.

Ferido ligeiro num ataque hoje da Renamo

Uma pessoa ficou ligeiramente ferida numa perna ao princípio da tarde de hoje após um ataque da Renamo a uma viatura que seguia em coluna na região entre Muxúnguè e o Rio Save, Estrada Nacional n.º 1, província de Sofala.- jornal da noite das 19:30 da "Rádio Moçambique".
Adenda às 19:44: recorde neste diário aqui.

Atum, dívida e recorde

Sobre o tema em epígrafe, confira um despacho da agência "Reuters" aqui.

Vala comum continua tema comum

A vala comum continua tema comum em vários círculos. A PIC, por exemplo, sustentou que a vala é produto de desinformação, mas o Presidente da Comissão dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e Legalidade da Assembleia da República, Edson Macuácua, afirmou que a investigação no terreno vai ocorrer. Aqui. A história começou quando uma agência noticiosa, citando camponeses como fonte, reportou a existência de uma vala comum com 120 corpos no centro do país. Aquiaqui. Perante o comum problema de não se encontrar a vala comum, descobriu-se, entretanto, que havia 15 corpos perto da suposta vala, por baixo de uma ponte. Recorde aqui e aqui. Em vários quadrantes [certos jornais, certas páginas das redes sociais digitais e blogues do copia/cola/mexerica], de forma directa ou indirecta, a ideia que se faz passar é que os corpos são produto de uma acção governamental de retaliação, sejam os da havida vala, sejam os situados debaixo da ponte e que, entretanto, foram enterrados segundo a polícia. Porém, o semanário "Savana" colocou uma pergunta no seu "À hora do fecho" da edição 1167 de 20 deste mês, aqui:
Adenda às 19:48: entretanto, leia o que afirmou o vice-ministro do Interior, aqui.

Independência social

O  importante não é declarar a independência, o importante não é dar à bandeira o significado de uma ruptura unívoca. O importante é sabermos se a independência é global, se a independência nacional foi, é e continuará a ser, também, o percurso para a independência social.

25 maio 2016

Hoje é Dia de África

Três tipos criminais em Moçambique [10]

Número anterior aqui, sumário aqui. Finalizo o terceiro e último ponto do sumário proposto, a saber: 3. Pistolagem urbana por encomenda. Escrevi no número anterior estarmos perante um tipo criminal que, há vários anos, provoca muita comoção e ocupa uma parte significativa dos relatos e das preocupações da imprensa. Em cena está o braço armado da pistolagem urbana por encomenda. 3.1. Raptos. Os raptos acompanhados da exigência de resgate tornaram-se um processo de acumulação imediata de Capital, levado a cabo por gangues de pistoleiros nacionais e, aparentemente também, estrangeiros. No geral, o empresário (ou um familiar) parece ser o alvo predilecto. O crime tem ultrapassado as fronteiras urbanas de Maputo; 3.2. Ameaças e assassinatos. Ameaças e assassinatos constituem uma segunda modalidade da pistolagem urbana por encomenda, atingindo vários tipos sociais, entre os quais académicos críticos e juristas. Parece ser forte e crescente a sua dimensão política a nível nacional. Talvez se possa sumarizar os dois subtipos criminais assim: o primeiro de pendência económica, o segundo de pendência política. Em ambos os casos, parece ser lícito afirmar que quase nada se sabe dos mandantes.

24 maio 2016

Saiba sobre Moçambique


Saiba sobre Moçambique através do mais recente número deste boletim, com data de hoje, aqui.
Adenda às 14:29: um despacho da "Reuters" aqui.

Armadilhas

É muito frequente encontrarmos pessoas de boa-fé a esgrimir posições do género: é preciso respeitar o outro. Por outras palavras, é necessário respeitar as diferenças. Porém, essas posturas estão cheias de armadilhas. Na verdade, seria preocupante defender-se que devem ser respeitadas as opiniões e os actos, entre outros, dos terroristas, dos assassinos, dos torcionários, dos genocidas, dos estupradores e dos racistas.

CC para notação de risco de Moçambique

No "macauhub": "A Fitch Ratings reviu em baixa de “CCC” para “CC” a notação de risco da dívida de longo prazo em moeda nacional e estrangeira de Moçambique, informou a agência em comunicado divulgado segunda-feira em Londres." Aqui.